sexta-feira, 10 de agosto de 2012

história sem moral

Hoje, ao registar o euromilhões como outro português qualquer que espera que o seu destino se resolva por magia e com a consciência de matemático ferida no seu orgulho (estou a pagar uma exorbitância pelo valor esperado), lembrei-me de como tudo começou há uns anos.

Para me motivar a deixar de fumar, decidi que o dinheiro que pusesse de parte, jogava-o no euromilhões. O raciocínio era: "vou trocar a probabilidade de ter cancro pela probabilidade ganhar o euro milhões". Para compensar a falta de tabaco comecei a beber mais.

Depois seguiram-se as contas e a compreensão de que o euro milhões era uma aposta estúpida e que mais valia jogar um jogo de casino onde os ganhos, mesmo que inferiores, têm um valor esperado superior e dão odds mais favoráveis.

Meti-me no black jack e torrei dinheiro até mais não num curto espaço de tempo, especialmente porque ficava confiante devido à bebida em excesso nas sessões de jogo. Depois foi o poker onde a coisa encaixou melhor, uma experiência zen que durou dois anos, mas que me deu cabo da vida, não fazia mais nada, deixei de escrever e tudo e só via cartas à frente.

Depois desisti do poker e voltei a fumar. Agora estou a jogar no euromilhões outra vez. E a fumar. E a beber demais. O que se segue?


7 comentários:

trollofthenorth disse...

BF4. -_-

Plaft, Sílvia disse...

Fósseis.

São João disse...

Vais ficar sem dinheiro antes do fim do mês.

Pipoco Mais Salgado disse...

Meu caro Tolan, sugiro casamento com a Plaft e filhos no curto prazo. Verificará que a sua vida passará a ter um je ne sais quoi de poker, uma pitada de roleta e, em sendo a Plaft aquilo que todos desejamos, terá o meu caro a ilusão de ser totalista único do euromilhões. Um dia com as crianças equivale a duas gararfas de Jameson 12 anos e haverá partes do seu dia envoltas em fumo, pode sempre simular que é fumo de Partagas nº2.

(Não me agradeça, fui enviado ao mundo para isto...)

Maat disse...

nunca pensei que jogasses no euromilhões. 1 em 116 milhões...

Isabel disse...

Pipoco, ele não pode casar com a Plaft porque já é casado. Homens como este estão em todo o lado, na blogosfera, na vida real e sabem camuflar-se.

Maria D Roque disse...

A próxima etapa é um tiro num pé... mas um tiro TIRO mesmo, e não como os outros todos que tem dado nos últimos tempos...