sábado, 10 de março de 2012

às vezes não consigo

Isto não é uma apreciação política, é meramente pessoal. Cavaco Silva é um homem anacrónico sem ser clássico, é primário sem ser simples, insensível, não tem humor e nunca brinca mas não é sério, não tem humanismo, defeitos interessantes ou qualidades para lá das que teria um homem remediado e respeitado pelas beatas da aldeia. É um provinciano mesquinho, tacanho, vaidoso, empertigado e ressentido. Pose de estado em frente ao espelho, não consegue existir nem descontrair, tem medo e, diz quem sabe, ele e a mulher chegam mesmo a ser dois azeiteiros sem mundo; duas caras de bacalhau seco, com apertos de mão indiferentes e contrariados, olhares baços, sem uma centelha de humildade e curiosidade. Não é rico, mas gostava de ser pobre só que não o deixam e quando diz que é pobre, todos ralham com ele de forma injusta. O coração, cheio de uma fé vazia. O Requiem de Mozart é uma dor de cabeça ligeira, um enfado, uma sonolência de domingo no sofá com naperons oferecidos pelo rancho folclórico. Cheira a incenso de capelas de Nossa Senhora, a naftalina de bandeiras nacionais bem dobradas na gaveta debaixo da gaveta dos peúgos e das ceroulas, a after shave do minipreço e a flores mortas.

8 comentários:

Jibóia Cega disse...

Onde é que se assina? Ah, pode ser aqui mesmo.

Anónimo disse...

Bravo!

Fábia disse...

Sim, é uma tristeza!!

a.i. disse...

ah e só uma coisa, pah, Tolan, tu escreves tão bem. Isto texto até parece um texto escrito sem conteúdo, mas não é.


Acho que isto não se percebe, mas enfim. Tolan, escreves mesmo bem

hierra disse...

Para além de bem escrito é mesmo verdade, verdadinha...

Izzie disse...

Taliqualinho. E diz quem viveu na altura que já tivémos um assim. ah, o eterno retorno ao saloio provinciano, é o nosso fado.

Beatrix Kiddo disse...

hehe li este post n google reader e quando acabei achei que era do "Rua da Abadia"

Sara Maurício disse...

Tolan, és grande!Subscrevo na íntegra mas infelizmente não tenho o teu talento para exprimir de forma tão requintada a minha opinião acerca deste senhor.