terça-feira, 19 de julho de 2011

porque gosto deles

Lev Tosltói

Como podeis certamente apreciar pela fotografia de Tolstói, ser um grande escritor russo não era sinónimo de se ser uma pessoa daquelas que são divertidas e dão entrevistas para aquele programa da SIC dos domingos depois do almoço, o Fama Show, aquele em que miúdas giras e divertidas entrevistam pessoas famosas e divertidas em coktails em vilamoura e corridas de carros vintage no estoril e a camara faz zooms muito rápidos e música de fundo e comentários muito espirituosos em rodapé com aqueles pontos de exclamação em Comic Sans que dá um efeito muito irreverente e cómico e eu farto-me de rir.

Portanto, o grande escritor russo não era esse tipo de pessoa. Aliás, é do conhecimento geral que a editora do Tolstói em 1865, a Ophiciniskaya do Libriusko, sugeriu que este fosse publicado todo em comic sans o que Tolstói terá recusado, mergulhando a cara chorosa nas mãos e recebendo palmadinhas de conforto do seu agente que fez sinal com a cabeça ao senhores da editora que era melhor esquecerem essa ideia e seguir em frente na reunião.

Fiodor Dostoiévski

O grande escritor russo era uma pessoa que se preocupava com problemas muito sérios e pensava muito neles e ficava um bocado angustiado com isso, particularmente com o facto de se sentir bastante incompreendido e impotente face aos problemas que identificava. E ao contrário dos emos, o escritor russo quase nunca usava eyeliner.

O grande escritor russo pensava naquilo que os estrangeiros chamam "o grande filme" - "the big picture" ou, como dizem os franceses "le grand croissant". Não lhes bastava os seus próprios problemas, tinham de se aborrecer com os dos outros, como a opressão, a miséria, a hipocrisia, a maldade, a injustiça, a guerra, a crueldade, o sofrimento... um pouco como aquelas pessoas que para além de ficarem tristes do Angélico morrer, também ficam tristes pela morte dos outros ocupantes do carro, mais o outro que vinha atrás e que atropelou um deles e que vai ficar com um peso na consciência para o resto da vida. Essas pessoas, comentando este tipo de acontecimentos no café, no trabalho e no quiosque, nem que seja dois minutos por dia entre o plantel do Benfica e o rating da Moody, estão sem querer a aproximar-se do ideal do grande escritor russo.

e Nikolai Gogol

Todos os grandes escritores russos admiram o homem simples e prático, com sentido de ética, um ideal de virtuosismo, que não pensa demais e é feliz. Em todas as suas histórias haverá uma personagem deste tipo, normalmente alguém ligado ao campo, ao arquétipo do russo que vive para trabalho, para a família e prazeres simples e que aparece aos olhos do urbano decadente dilacerado por paixões, vicios e ciúmes, indisciplinado e inquieto, como o homem mais sábio, o mais sábio à face da terra. E sente-se que aquilo é real, pois não haverá certamente pessoa menos sábia que aquela que quer resolver os problemas das dores do mundo e da alma em vez de se preocupar em ir viver para o Baleal perto de Peniche e pescar peixes e trabalhar numa fábrica de enlatados de sardinhas (por exemplo).

12 comentários:

Chata disse...

Que não imaginava Gogol tão fotogénico...

Camila disse...

Já o leio desde o inicio embora nunca tenha comentado. É hoje o dia. Também gosto muito deles, particularmente do Gogol. Um amigo sugeriu-me um dia o "Diário de um Louco" e fiquei vários dias impressionada com aquele livro tão pequenino de prai 40 páginas e de como me tinha feito pensar na minha própria existencia e em especial na minha avó que tinha falecido havia pouco tempo, tendo sofrido de demência nos últimos anos da sua vida. Um livro tão pequenino que em tão poucas páginas nos faz rir bem alto e temer em silêncio a possibilidade de um dia sermos nós o louco. Enfim, também gosto destes russos. :)

RBM disse...

mas afinal quando é que começas a escrever em comic sans?

(ver se isto anima, que andas desinspirado e já não enganas ninguém)

Tolan disse...

Chata: é.

Camila: se não leste, lê o almas mortas, é talvez o melhor livro russo escrito por um russo.

RBM: o blogger tem comic sans?

(nota, o departamento de marketing disse-me que eu tinha de encorajar feedback positivo dando-vos a ilusão de uma interacção comigo)

Rita Maria disse...

Para mim o que faz deles mesmo grandes é este escrever o mundo inteiro, com todo o peso implicado, mas perceber a forma como a miúda anda de forma diferente porque tem uns sapatos novos e sao bonitos.

PS: Claro que o Blogger tem Comic Sans.
PPS: Nao te preocupes, se continuares a crescer chegas a uma altura em que podes insultar os comentadores em vez de lhes dar feedback positivo. Acho que devia ser a tua meta.

Maat disse...

eu já excluí currículos de processos de selecção só porque vinham escritos em comic sans. será que sou má pessoa (pergunta retórica, claro, já sei a resposta)?

Wiwia disse...

Cautela. Comic Sans está atento. Assholes. :D

http://vimeo.com/17450666

TLD disse...

Percebi, agora mesmo, porque nunca serei um grande escritor. Sou demasiado bonito! Merda. Não tenho sorte nenhuma!

Luís Carvalho disse...

Maat
Má pessoa não sei se és, mas parva sem dúvida.

Maat disse...

nota mental: luís carvalho... decorar nome para eliminar em futuros processos...

Luís Carvalho disse...

Não se dê ao trabalho, vivo de rendimentos em off shore.

Veja lá se não sou eu que faço uma nota mental e tem de actualizar o seu c.v. Em garamond de preferência.

Maat disse...

aaahhhh... nada como a blogosfera e seus utilizadores sem sentido de humor para animar os dias entediantes de verão.