segunda-feira, 13 de maio de 2013

bilf, obmmuf e prémios literários.

A Pólo Norte abriu as hostilidades do BILF 2013 (Blogger I'd Love to Fuck), o único concurso literário credível em Portugal.

Obtive sempre generosas votações, incluindo uma vitória e vários vice-bilfs. Tudo isto culminou no meu prémio Plaft carreira, o que me possibilitou vencer de seguida o OBMMUF (Ó Blogger, Make Me Um filho!) No OBMMUF entram outras variáveis na equação e julgo que e é muito mais exigente do ponto de vista literário. É uma obra de fôlego, mesmo que o início seja muito divertido e fácil.

Não sei se por esta blogosfera há mais bloggers que se podem gabar de engravidar uma leitora, mas sou novo demais para fazer balanços e deixo o assunto entregue aos futuros estudiosos da literatura portuguesa do início do século XXI a quem, já agora, informo que sou um neo-futurista.

Claro que tudo isto faz parte de um plano de longo prazo, um plano literário. Tijolo a tijolo, o edifício vai-se construindo, ou a obra digamos assim. Entretanto, para além da Plaft, do prémio do OBMMUF que lhe cresce na pança e do BMW preto que o Bukowski diz que todos os tipos duros conduzem, já tenho uma agente literária de fabrico alemão e não preciso de mais nada: ela trata de lidar com as rejeições das editoras com muito mais profissionalismo e organização do que eu conseguiria fazer sozinho ao longo da minha carreira. As editoras são indiferentes a isto, ao conceito de seduzir leitoras exclusivamente pela escrita. Depois têm de gastar dinheiro em marketing para que os seus escritores fiquem apelativos e possam ter vida sexual, largando assim o vício da masturbação que tanto atrapalha a mão que escreve e atrasa o próximo lançamento. Mas agora é diferente, tenho uma agente, é como no Jerry Maguire, ela é o Tom Cruise e eu o seu pretinho esforçado que lhe manda sinopses de romances que não faço qualquer intenção de escrever. Bom, talvez um dia. A minha agente também não conhecia o BILF. Aliás, manifestou alguma perplexidade quando, a propósito de uma conversa em que era suposto eu dar-lhe referências credíveis ou prémios literários que a pudessem ajudar no seu trabalho, eu lhe expliquei o que era o BILF e lhe passei os prints dos screenshots das votações (várias cópias agrafadas para ela levar às editoras). Ela acha que talvez não seja boa ideia para já ter essa abordagem. Pelos vistos, o BILF é pouco conhecido nos círculos das feiras literárias de Frankfurt, Buenos Aires...  Ainda insisti com ela que cá em Portugal o BILF é um prémio ainda mais conceituado que o prémio Saramago, porque não há limite de idade e o prémio Saramago é para sub-35. Mas tudo isto, em qualquer caso, já não interessa. Não dá para jogar na divisão do OBMMUF e querer entrar no BILF. As regras são distintas. Isto é muito importante. Se tiver de dar um conselho literário a jovens aspirantes a BILF, diria que a regra número um é evitarem ao máximo falar na namorada ou na mulher ou perdem logo metade do vosso apelo literário (cof cof). Quando a relação acabar, então aproveitem e façam uns posts melancólicos e muito sentidos, de despedida, coisas como:

 tomei café no nosso café.  eu não me sentia à vontade  naquele café, lembras-te? era a tua casa, a casa onde nos tampos das mesas riscaste as iniciais de outros, tantos, tantos os que passaram por ti, por dentro de ti, mas ia sempre, porque tu ias e porque o dono te conhecia e te cumprimentava, porque podias fumar e ler com a cabeça encostada à janela, e eu olhava para ti e sentia-te distante, os olhos pousados em algo  que se te desenhara do poema que lias para mim, mas depois tu voltavas para mim, para o meu rosto e sorrias, voltavas, voltarias sempre, acreditei... e hoje fui eu que escrevi as minhas iniciais no tampo da nossa mesa preferida.

... tão a ver o género? Elas mamam sempre disto, é tiro e queda, há escritores que fazem carreira e prémios à base deste concentrado :)) E matam dois coelhos de uma cajadada. Por um lado demonstram que são sensíveis e que não são uns sacanas frios, por outro, dão o sinal claro e inequívoco às outras de que agora estão disponíveis. Boa sorte amigos. Sejam BILFs com responsabilidade, isto é, sempre com o objectivo de serem OBMMUF. Alguém vai ter de pagar os empréstimos do regresso de Portugal aos mercados. Só na semana passada foram 2,5 mil milhões de uma vez e que vão ter de ser pagos com outro empréstimo a dez anos e depois outro e outro... as dívidas não se pagam, gerem-se, como dizia o outro, mas é preciso pequenada para nos pagar as reformas.

8 comentários:

Isa disse...

voto em ti Tolinhas, vai lá e aperta o teu em meu nome, salvo seja.

Mak, o Mau disse...

Em termos de literatura eu sou um escroque (ok, não é só na literatura), mas muda o apelido do Jerry para Maguire, que eu esse filme já vi muitas vezes e choro sempre quando o anão cientologista diz "You complete me..." e ela diz "You had me at hello" e as divorciadas todas da sala ficam numa espécie de transe.

Ah e quando o Cuba diz "Show me the money" e outras frases espirituosas, também gosto muito.

Palmier Encoberto disse...

Oh pah... o que me ri! :DDDD

Palmier Encoberto disse...

Este post entrou directamente para o meu top 10 :DDD

Alexandra, a Grande disse...

Oh Tolan, até fiquei comovida. É por estas e por outras que tu, grávido e tudo, serás sempre "o" BILF.

Maria D Roque disse...

Eu não digo que és o melhor BILF ( pode andar por aí alguém do BAU e ainda tenho que prestar TIR), mas que és o MEQEEBNMP, disso não duvido...point....

Pólo Norte disse...

Bilfaste a Plaft cá com uma pinta!

Eu deveria ser madrinha honorária da Júlia, é o que é...

tomaz disse...

brilhante!

já agora, nova leitora on the block.