domingo, 13 de janeiro de 2013

ironia das ironias

Posso ter atraído alguns maluquinhos com o meus posts sobre animais, é sempre inevitável porque este tipo de posts acaba por ser replicado e colado em vários sítios, mas o Daniel Oliveira está a ter a vida mais difícil. Comentário ao post dele:

Isabel

Eu, democrata cristã, concordo com tudo o que escreveu.
Os humanos são seres inteligentes e estão acima de todos os outros irracionais.
Não se comparam, estão em planos diferentes.
Pelas razões que invocou, sou contra o aborto, a eutanásia e logicamente contra a pena de morte.
Já vi o fanatismo pela causa dos animais, chamar-lhes "meninos" ou "bébés".
É chocante.
Será este fanatismo alimentado por um tentáculo do ateísmo????
Será que colocar pessoas e animais no mesmo plano, conduzirá à naturalização e normalização da esterilização, eutanásia e pena de morte para os humanos?
Declaro aqui que gosto imenso de animais.
Por isso acho execrável que se tenham cães, gatos ou coelhos, que precisam de correr, de espaço e de ar, em apartamentos ou gaiolas, fechados em casa o dia todo.
Porque o ambiente em que vivem não é natural as probabilidades de terem comportamentos agressivos aumentam.
Alguém (importante) disse que "quando tratarmos os animais como pessoas passaremos a tratar as pessoas como animais"...

 
Eh eh eh eh :')

14 comentários:

Annie disse...

e eis que, pela primeira vez desde que tudo isto começou, ele se arrepende do que escreveu eh eh

Maria Costa disse...

Chocante chamar nomes "fofinhos" a um animal que está connosco há anos que faz parte da família? Claro que não ando a chamar "pequenino" ou "bébé" a outros que não conheço como também não o faço com pessoas estranhas.E o que tem ser democrata cristã para o caso? Os meus animais são tratados como pessoas e já o fiz com animais abandonados também mas há muito boa gente que poderia ver numa valeta que não lhe deitava a mão. A Isabel deve ser daquelas que gosta de touradas e nem deve pensar que os animais sofrem exatamente como as pesoas. Será que já viu algum? E que tem o aborto e a eutanásia para o caso? Fanatismos!

Teresa disse...

Quando diz que os animais não deveriam estar confinados a um espaço fechado tem razão porque não é essa a sua natureza e aí a responsabilidade total é das pessoas, mas egoísmo e irresponsabilidade são os nossos nomes do meio.
À parte do radicalismo absurdo do comentário, lembro-me da minha mãe falar que o meu avô matou um cão que tinha na altura porque já tinha mordido várias pessoas, incluindo alguém da família. Não vou escrever o que é que a minha avó fazia aos cachorrinhos que nasciam e que ela não queria senão ainda sou apedrejada. E o meu avô adorava o cão. E também eu sou apaixonada por cães, aliás não há pessoa que pareça mais criança do que eu quando vê um cão.
No entanto, considero ridículo a forma como se defende tanto um animal que matou um bebé. Ontem vi uma reportagem com a miúda que criou a petição em que dizia que se fosse ela nunca deixaria um bebé sozinho com um cão e blá blá blá. Num mundo ideal eu passaria os meus dias numa praia paradisíaca.

Luna disse...

Sim, dei-me ao trabalho de ler alguns e também tinha reparado neste.

Mas deixa lá que eu também recebi umas pérolas.

Anónimo disse...

a internet é a selva! foda-se!

encontrámos a forma perfeita de nos livrarmos dos constrangimentos provocados pelo (e necessários ao) contacto entre pessoas na vida real. na internet o homo sapiens revela-se na sua verdadeira natureza e, foda-se, que susto do caralho!!! ele é teorias sobre tudo e mais alguma coisa, fanatismo a torto e a direito, violência verbal e psicológica como nunca antes se viu (porque agora as palavras chegam mais longe e mais rápido do que alguma vez aconteceu..) sim, isto é tudo muito porreiro, mas, não me fodam..

quando ao nico ou zico ou lá como se chama a porra do cão, eu sei lá o que se passou.. faleceu uma criança de ano e meio e isso é uma tragédia. não consigo pensar muito para além disso. a lei diz que um animal que mate uma pessoa deve ser abatido (e penso que isto vale para todos os animais, desde cães domésticos a cobras ou leões ou aranhas, sei lá) e para mim está correcto.


Tolan disse...

R., estás confuso não é? Acabou-se, pá. Não foi por falta de aviso. Estou farto de te aturar. Se queres ser boçal e parvinho, vais comentar para o raio que te parta.

Tolan disse...

Anónimo, eu até pensei que a "Isabel" seria um troll muito bom, mas depois de ver várias respostas dela a outros comentários percebi que era uma pessoa real.

Tolan disse...

Teresa, depende do animal. Muitos gatos e algumas raças de cães vivem perfeitamente em apartamentos. Especialmente no caso dos cães, foram raças desenvolvidas para serem animais de companhia. Como tal, o seu lugar é na "matilha" da família. Tive cães em apartamentos durante mais de 10 anos. Passeávamos o cão 3 vezes por dia, incluindo um longo passeio diário nos arrabaldes da cidade, para que corressem. Posso garantir que muitos cachorros, no inverno, trocam a tal liberdade de correr, por um cantinho ao lado do aquecedor e uns passeios curtos para dar uma mijadela e voltar rápido para casa :)

Ricardo disse...

Maluquinhos é dizer pouco.

Na Mesma disse...

Pergunta pertinente, acho eu:
Dessas 20 mil pessoas que assinaram a petição, eu gostaria de saber quantas estão disponíveis para levar o cão para a casa delas, reeducá-lo e responsabilizar-se por qualquer acto futuro desse mesmo animal?
Eu gosto de animais e sempre tive cães, condeno quem os abandona ou maltrata mas julgo que os direitos deles terminam onde começam os das pessoas.

anouc disse...

OLha lá ó Tolan, porque é que aqui ainda ninguém te chamou idiota?!? Eu levei logo com um "idota" no primeiro comentário. Acho isto altamente injusto e completamente inexplicável.

Sister V. disse...

Sempre tive cães. Morei sempre em apartamentos. Sei o que significo para os meus cães e o que eles significam para mim. E para mim eles estão acima de muita gente. Não sou nenhuma fanática, apenas respeito todos, sejam humanos ou animais. E é por isso que também tenho alguma dificuldade em rever-me na petição.

Joanissima disse...

Eu gosto de pensar que esta Isabel é o nome fictício de alguém com finalidades menos claras. Gosto de pensar assim porque me recuso a acreditar que existam pessoas assim, na vida real. Aliás, não acredito. Mas isso sou eu para quem os meus felpudinhos são filhos de quatro patas.

Limited Edition disse...

é por estes posts abordarem a polémica em questão de uma posição racional e não de um ponto de vista extremista que uns são apelidados de idiotas e outros não.