quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

#21

Gosto muito da minha bicicleta. Gosto muito de descer a Almirante Reis ou a Fontes Pereira de Melo destravado, com as minhas luvinhas para não ter frio nas patas e o meu blusão amarelo fluorescente impermeável nos dias de chuva. Gosto do meu capacete de ciclista. Gosto de parar num semáforo com o pé no pedal, pronto a disparar no verde. Gosto de cronometrar o tempo que demoro a ir de casa para o trabalho e do trabalho para casa e comparar com o metro e ver que a diferença vai em mais de 5 minutos, favorável à bicicleta. Registo as mudanças em que vou nas subidas, um dia é uma 3ª, no outro a 4ª e agora já vou em 5ª. Gosto de ir a abrir no Chiado, a pedalar muito rápido e a assustar as bichas e os hipsters que ficam horrorizados pelo clarão amarelo fluorescente e outro tipo de equipamento ergonómico e funcional que uso em total sintonia com a minha bicicleta alemã enquanto que eles andam em pasteleiras retro que pesam 10 toneladas envoltos em cachecóis à intelectual com o cestinho das compras à frente. Dá gosto ver o amortecedor alemão da minha roda da frente a trabalhar absorvendo as pancadas da calçada. É divertido mudar de faixa em ruas com carris do eléctrico, temos de saltar com as duas rodas no ar para que não se enfiem nos carris, aprendi o truque depois do pequeno acidente em Alcântara e dá imenso estilo. Gosto passar os semáforos vermelhos depois de olhar com muita atenção, hábito que adquiri depois de outro pequeno acidente. Quando não tenho espaço para passar entre os carros, gosto de saltar para cima do passeio por entre as pessoas que se desviam quando faço trring trring e voltar à estrada toda desimpedida depois do semáforo ou do engarrafamento. Gosto de assustar velhinhas nas passadeiras ao fazer-lhes razias que lhes deixam os saquinhos de compras e as saias a balançar e a cabeça a abanar de um lado para o outro em censura. Gosto de voar em frente às paragens de autocarro e eléctrico onde as pessoas desesperam à espera e fazer woooosh com a deslocação do ar. Se não vou suficientemente rápido faço woooosh com a boca, discretamente. O grande clarão amarelo fluorescente de Lisboa sou eu. O Lightning Bolt. O Yellow Thunder. O Fluorescent Kamikaze.

12 comentários:

POC disse...

"Se não vou suficientemente rápido faço woooosh com a boca, discretamente." ---> GOLD

Muito bom post.
Carrega Tolan, em Maio apanho-te de bicla a festejar.

D.S. disse...

Começar a usar a bicicleta nos meus commutes foi a melhor coisa que fiz em 2012. Revejo-me em cada ponto do post (menos o dos carris, não sei saltar com as duas rodas no ar)

Tolan disse...

D.S. com pedais de encaixe é mais fácil. Esta bicicleta não tem pedais de encaixe. Se calhar sou capaz de ter exagerado um bocadinho nessa parte.

Maria D Roque disse...

Ou o Flash Gordo...

R. disse...

Na próxima que passares por mim assim prego-te uma rasteira.

R.

R. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Izzy disse...

Hi-la-rious... mas nao acredito que curtas assim tanto a bicicleta. Nao mais anseias pousar as patinhas no volante de um carro alemao?

Maria Costa disse...

Agora já sei quem era o pirilampo a guiar uma bicicleta que passou no outro dia por mim que quase me derrubou. Cuidadinho Sr. Tolan!

Palmier Encoberto disse...

Agora, de repente, também quero ter uma bicicleta!

Tolan disse...

izzy, não há lugar para o carro alemão na baixa :\ tornei-me num condutor de fim de semana. É só para ir ao Colombo, ao AKI.

Catarina disse...

há carro alemão mas não há capital para o parque de estacionamento?

Tolan disse...

O capital não é meu, o carro é da empresa.