quinta-feira, 12 de julho de 2012

expliquem-me isto

Esta dúvida surge-me sempre que vejo anunciar que um veículo eléctrico é livre de emissões de CO2.
Não consigo compreender isto.

Os veículos eléctricos funcionam a electricidade, com baterias.
A electricidade tem de ser gerada. Pode ser fabricada de muitas formas, incluindo formas renováveis, mas nem sempre. Nos países da OCDE a coisa é assim:

Gás: 21,6%
Carvão: 20,4%
Biomassa: 3,4%
Hidro: 2,1%
Nuclear: 11%
Petróleo: 40,8%
Outras: 0,7%

 Vou evitar falar no caso concreto de Portugal. Temos 15% de renováveis, sendo 13% hidro e a meta é chegar aos 30% em 2020. Também não vou falar nos impactos ecológicos das barragens que estão muito para além da minha parca compreensão, mas quero apenas frisar que a "emissão de CO2" não é a única coisa má para o ambiente digamos assim.

Todas aquelas fontes de energia, excepto a hidro, nuclear (que tem outros problemas...) e o "outras" geram CO2 ao produzir electricidade.

Fossil Fuel Emission Levels
- Pounds per Billion Btu of Energy Input

Pollutant Natural Gas Oil Coal
Carbon Dioxide 117,000 164,000 208,000

Muito bem. Portanto, podemos dizer que em média na OCDE 85% da energia eléctrica produzida emite CO2, sem contar com os 11% do nuclear que daria uns 95% de energia poluente.

Agora falemos de entropia. Produzir energia eléctrica com petróleo num sítio, processar e transportar essa energia eléctrica numa rede imensa cheia de dissipação, consumos ineficientes e desperdícios, carregar uma bateria normalmente mais densa e pesada que o volume equivalente de combustível e que tem um output inferior à energia que recebe e, no final, produzir movimento ou força motora, parece-me algo ineficiente e não sei se compensa o facto do motor eléctrico ser substancialmente mais eficiente que um motor a combustão a nível de utilização da energia. Por ex: o veículo também alimenta a bateria nas travagens ou descidas, algo que não acontece nos veículos a combustível em que tudo é perdido.

Em qualquer caso, parece-me desonesto dizer que não existem emissões de CO2 quando a quase totalidade da energia que faz um veículo eléctrico funcionar é produzida com libertação de C02, a não ser que o proprietário ligue o carro a uma ficha de electricidade de um gerador eólico que tenha no quintal. Se estiver enganado, expliquem-me.


9 comentários:

São João disse...

Seria correcto dizer que o veículo não emite gases poluentes pelo tubo de escape. Ouvi dizer que também há um tipo de moinhos de vento que gastam mais energia na sua produção do que a energia que produzem. És tão esperto Tolan, toma lá um biscoito.

Tolan disse...

wooof

disse...

a bandeira implícita deste mercado é que a energia produzida (e consumida) não emite CO2 nas cidades, melhorando os níveis de poluição atmosférica onde ela é actualmente mais preocupante. claro que isso acontece às custas das áreas de produção. se já há estudos de impacto ambiental e eles não são públicos ou não têm visibilidade, se calhar é porque os resultados não serão muito populares.

Pedro Almeida disse...

Os carros eléctricos são a banha da cobra do secúlo XXI.

São mais caros.
A autonomia é muito menor.
A velocidade é muito menor.
Demoram no mínimo 8 horas a carregar a bateria.
Tem que se pagar o aluguer da bateria à marca.
Quem não tenha garagem é suposto ligar a bateria através de uma extensão pela varanda da casa até à rua?

Vou já comprar meia dúzia, por mim podem meter o ambiente no cú.

Pedro Almeida disse...

Lembrei-me doutra.
Imaginemos que uma familia mora em Lisboa e que decide ir passar um fim de semana ao Algarve.
Como fazem?
A partir de Alcácer vão a empurar o carro???

(no site da Renault a solução para este enigma passava por alugar um carro...a gasolina)

Tolan disse...

Pedro, de facto venderam-se muito poucos e a rede de abastecimento de 1000 postos do Sócrates está a 50% porque metade avariou e não há dinheiro para reparar. Até a Quercus criticou o projecto por ser megalómano. Mas penso que os híbridos assim como carros / motas eléctricas para utilização urbana se calhar até podem compensar, não sei.

Quanto à cena de recarregar, eu que sou um génio há muito que cheguei à solução inevitável: um sistema que permita trocar a bateria. Todos os automóveis teriam uma bateria com dimensões e especificações standard embora pudesse haver diferenciação quanto à qualidade, peso, potência etc. para promover a concorrência, tipo, as baterias da Repsol são mais económicas que as da Galp mas as da Galp dão mais potência e são mais leves, só que custam mais que as da Repsol etc., uma merda assim, como nas pilhas normais. Aquilo tinha era de ser padrão. Um gajo chegava a uma estação e trocavam-lhe as pilhas ao carro. E até podia levar uma pilha extra no carro para viagens longas. Ainda pesam toneladas mas tem havido grandes avanços nesse domínio, um dia, vão ver se não tenho razão :D

Vareta disse...

O teu texto é um bom bocado demagógico e parece encomendado pelos accionistas da Galp...

Tolan disse...

:)

mim ispilica disse...

Em qualquer caso, parece-me desonesto dizer que não existem emissões de CO2 quando a quase totalidade da energia que faz um veículo eléctrico funcionar é produzida com libertação de C02, a não ser que o proprietário ligue o carro a uma ficha de electricidade de um gerador eólico que tenha no quintal. Se estiver enganado, expliquem-me.


é usar uma garagem feyta de painéis solares claro que fundir os componentes e levar as células solares tamém consome energias fossilis

bom deixa de respirar e congela-te que já nã emites co2 inté descongelares