terça-feira, 10 de abril de 2012

e a coluna chama-se "política a sério".

O José António Saraiva teve a ideia para este artigo de opinião enquanto batia uma na casa de banho do 3º piso dos armazéns do Chiado, depois partilhar o elevador com um efebo efeminado.

24 comentários:

S* disse...

Perfeito imbecil.

Prezado disse...

Ontem li essa peça e ao fim de 5 linhas já achava que não dava para ser mais bronco. Enganei-me.

Maat disse...

que coincidência. não sei quem é esse senhor (shame on me) mas ainda ontem li um artigo dele sobre o Sócrates (http://sol.sapo.pt/inicio/Opiniao/interior.aspx?content_id=44360&opiniao=Pol%EDtica%20a%20S%E9rio) que tinha mais de 60 comentários de leitores irados. pelos vistos ele gosta de aborrecer as pessoas. ou então de escrever porcaria, não sei, é uma questão de ponto de vista.

Stiletto disse...

É um artigo de opinião e o homem tem direito à dele. Tal como tu tens direito à tua. Eu li o artigo assim como alguns dos insultos que lhe escreveram e independentemente de poder ou não concordar com o artigo, não consigo concordar com o facto de uma pessoa ser insultada só por exprimir a sua opinião, por mais aberrante que ela possa ser. Esta falta de tolerância e de respeito para com o próximo (e de inteligência, porque é preciso ter-se alguma para discutir sem ofender) desgosta-me.

Mel disse...

Ja estava a escolher as palavras para tecer um comentario, mas nao foi preciso. Subscrevo o que disse o/a Stiletto.

Tolan disse...

O desrespeito e intolerância para com o próximo têm formas mais fortes do que chamar paneleiro do caralho, bichona entesoada ou velho rebarbado a uma pessoa, mas explicar isto a alguém está para lá da minha missão enquanto blogger...

Devo dizer que as bichas do Chiado me dão vontade de rir, assim como pretos a serem "pretos" ou moralistas católicos obcecados pela sexualidade em geral como o Saraiva, o João Cesar das Neves etc.

eu imagino o Saraiva assim, com um fascínio erótico pela homossexualidade que depois é masturbado e esporrado no Sol em pseudo-análises sociológicas e psicológicas delirantes para tentar exorcizar o demónio :) E claro que há provocação, o gajo sabe que vai ter 1039224 backlinks.

Pedro Almeida disse...

"À minha frente, no elevador, está um rapaz dos seus 16 ou 17 anos. Pelo modo como coloca os pés no chão, cruza as mãos uma sobre a outra e inclina ligeiramente a cabeça, percebo que é gay."

Este é o naco de prosa mais erótico que li nos últimos anos.
Melhor que isto só o Thomas Mann com "A Morte em Veneza".
É um grande escritor este nosso arquitecto.

Tolan disse...

e que raio, onde é que alguém impede o Saraiva de dizer o que lhe apetece? Já da outra vez andava aí um abaixo assinado escrito pelas bichas todas ofendidas etc. epá... eu estou-me nas tintas, já na altura disse "não comprem o Sol" Acho a ditadura do politicamente correcto muito perigosa quando começa pela via "legal" a tentar silenciar opiniões. O Saraiva tem o direito de escrever aquilo, como eu tenho o direito de o chamar de rebarbado (ele gosta, excita-o, dá-lhe fama, buzz, vende jornais etc.), como vocês têm o direito de se armarem em tiazocas dos bons costumes e do respeitinho é que é bonito.

Tolan disse...

Pedro, é que é completamente, é tão óbvio que chega a ser cómico. A situação do elevador etc. só lhe faltou falar no perfume Jean Paul Gaultier que o deixou tonto.

Stiletto disse...

Tiazoca é? Já me chamaram coisas piores, puto.
E só para esclarecer, quando falei em falta de respeito estava a referir-me aos epítetos de que o sr. em questão foi apelidado, desde fascista a homofóbico, passando por criminoso. Desde quando é que uma pessoa não tem o direito a ter verborreia mental sem ser insultada?
Eu não gosto dele ou do que escreve mas acho que ele é eficaz ou não teria posto meio mundo a falar dele e do Sol.

Martafufa do Chiado disse...

O melhor comentário que eu vi lá: "A homofobia é tão gay". Mas leram também aquela do James Dean, esse ganda paneleirão? Já do Durão Barroso não sei, nem do tio dele, Saraiva, o que foi ministro do Salazar, mas é preciso respeitar as opiniões deles e as inclinações sexuais deles, sejam elas quais forem, ó paneleirotes intolerantes! Calaide-vos, só pode dizer imbecilidades quem tem fórum e autoridade.

silvia disse...

Ser ou não ser !!
Coitado do Saraiva*:)
Gostava de os ter observado no elevador :).
Pergunto-me quem é que ainda se rala onde cada um gosta de levar :)))

Um dia ia de carro com um amigo meu Homo :) e de repente alguém o ultrapassa sem razão:) e ouço em voz alta: Vai levar no cu !!! :)))) ao que lhe pergunto: mas isso não é bom !!!! o meu amigo ficou hesitante e desatou-se a rir :)))



* subscrevo o post!!!

Isa disse...

As pessoas podem e devem expressar a sua opinião sim, com os amigos, a família, o diabo. Num jornal são outros 500. discriminação de género, raça, orientção sexual é proibido pela constituição. precisamente por isso, pra que nao se queimem pessoas na fogueira pq gostam de pessoas do mesmo sexo. tu nao podes dizer tudo o que te passa pela cabeça, simplesmente nao podes.

adorei, Tolan, essa posição de macho! :p

Tolan disse...

obrigado Isa, mas não sei se emitir uma opinião num jornal constitui um acto de discriminação proibido. Por mim não devia ser e temos assistido a uma tendência perigosa da ditadura do politicamente correcto cheia de zonas cinzentas impossíveis de destrinçar. Eu só achei cómico o erotismo e a obsessão do Saraiva pelo tema da homossexualidade (raios, a coluna chama-se Política a Sério) e o mirabolante do raciocínio do gajo.

As pessoas mais perigosas são as bem intencionadas, sempre e tenho medo delas, quando ganham poder. O Saraiva é só um gajo que escreve uma coluna. Quero viver num mundo em que os Saraivas possam ser homofóbicos e a gente gozar com eles, do que num em que haja uma tal ERC ou leis com poder para dizer o que é que se pode dizer ou não pode dizer e fazer dos Saraivas uma espécie de mártires, quando não passam de palhaços do momento. Não gosto disso. Vai sempre desembocar na mesma merda de onde viemos e os exemplos abundam. Ainda recentemente nos EUA num estado qualquer retiraram palavras como "dinossauros" e "evolução" de manuais escolares porque isso fere a sensibilidade dos crentes. Tudo muito intencionado, sempre.

Isa disse...

Tolan, uma coisa é ser politicamente correto, coisa que, como já deves ter percebido, não sou e sou absolutamente contra, porque é fake, não é natural, esconde algo, é uma falsa tolerância, representa uma falsa ideia que temos de nós mesmos. outra é propagandear homofobia num jornal. por alguma razão a propaganda ao nazismo é proibida. Tu podes ser nazista na tua família, o que não podes é incitar publicamente ao ódio racial. porque isso ganha força. e, meu, nós temos mesmo, mesmo de proibir coisas, sabes, o ser humano não é de confiança... ;)

Luna disse...

lóve you. (com todo o respeito à Plaft, Sílvia)

Anónimo disse...

«nós temos mesmo, mesmo de proibir coisas»

Menos manifestações com cartazes que contenham: Morte ao Bush.
"A propaganda ao nazismo" é proibida, mas a propaganda ao comunismo é aceite?
Já sobre o assunto a linha que separa a "homofobia" é ténue. Mas eu prefiro o respeito mútuo à uniformização de gostos.
E também conheço os bairros homossexuais de Pigalle e posso garantir que a "heterofobia" existe! Tal como os apalpões de espanhóis atrevidos.
Se eu sou ou não tolerante a essas merdas? Não sou.
Se já me proibiram de entrar num bar por ser hetero, já.
E para terminar, não tenho nenhum amigo gay. Não lhe tenho medo. Sou capaz de conversar com gays, pretos, socialistas, ciganos e até anões. A idiotice não escolhe sexos nem cores. Daí a não poder formular ideias sobre eles... vai um mundo.

Tolan disse...

a propósito destas coisas, já agora, Lisboa é considerada uma das cidades mais gay friendly do mundo. Eu acho bom para a nossa economia, os gajos são normalmente espertos e ricos e gastam o dinheiro em merdas caras. Normalmente também não costumam roubar ou pedir dinheiro como os ciganos romanos. Mil vezes isso que ser uma das cidades mais freak friendly do mundo, para gajos que não tomam banho, têm rastas e andam por aí a fazer malabarismo, já basta o bloco de esquerda.

Anónimo disse...

«Normalmente também não costumam roubar ou pedir dinheiro como os ciganos romanos»
Que observação idiota.
Isto é que é preconceito, travestido.

Tolan disse...

enganei-me, queria dizer "romenos" e não "romanos", as minhas desculpas.

Cat disse...

AHAHAHAHAHAHAHAHAHAH
priceless!

Bom, aquilo é a opinião dele. Igual a todas as outras opiniões dele. Profundamente imbecil? Sim. Estupidamente vergonhosa? Claro. Dá vontade de lhe dar biqueiros na cabeça? Hã hã. Mas... qual é a novidade? Não tem sido sempre assim?

Tolan disse...

sim Cat! já aqui disse que o Saraiva tem o condão de, a propósito de qualquer tema, me fazer adoptar a opinião exactamente oposta à dele, mesmo que à priori a minha opinião fosse coincidente. Este não era, obviamente, um desses casos, mas quando isso sucede, é como se visse uma caricatura de mim, a minha imbecilidade ali exposta. É fascinante. O gajo conseguiu, por exemplo, fazer-me ter simpatia pelo PCP a certa altura quando escrevia no expresso.

Prezado disse...

Cat, assino por baixo.

Izzie disse...

Genius.
Claro que o AJS tem direito à sua opinião, e até direito a expressá-la no (seu) jornal, mas eu também tenho o direito a achar a sua opinião imbecil e desconfiar que tem um valente closet lá em casa, onde se esconde amiúde. É a liberdade de expressão, pá.