quarta-feira, 13 de abril de 2011

pretinhos e música

A comentadora Carla pergunta-me "porque disseste que o Smokey Robinson era pretinho?" Ora, porque é batota e injusto comparar negros com brancos em certos géneros de música, como a soul ou o hip-hop.

Os pretinhos são pobres, em geral, o que funciona como incentivo para se virarem para a dança e a cantoria, por vezes ambos, como o Michael Jackson. É concorrência desleal.

O melhor de um branco na soul é uma espécie de mediano de um pretinho. porque eles já nascem assim. A chorar aos 6 meses já o fazem numa escala pentatónica blues e em vez de chuchas dão-lhes harmónicas. Depois aperfeiçoam aquilo nas igrejas ou quando estão na apanha do algodão a ensaiar todos contentes.

Toda gente sabe que o Ben E. King compôs o "stand by me" para o Ray Charles, para ele cantar quando trabalhava na apanha do algodão. Cantava o "stand by me" aos outros pretinhos e estes ficavam ao pé dele, para o ajudarem a orientar-se e não ficar debaixo do tractor conduzido pelo patrão Billy Bob que não estava cá para brincadeiras. O James Brown por exemplo, compôs "Like a Sex Machine" numa entrevista de emprego numa quinta, em resposta à questão "how fast do you pick cotton?". É difícil concorrer com isto. Pensemos que os problemas que um branco tem ao longo da vida, dão origem, no máximo, ao Michael Buble.

Penso que nisto de certas categorias de música devia haver uma separação racial, tal como no desporto. Felizmente, em certas categorias dos jogos olímpicos ela já existe. Na final dos 100 metros em Pequim, não havia um único branco, por proibição do comité olímpico. Já era tempo de terminar com as humilhações constantes a que eram submetidos os espécimes arianos. Na música passa-se o mesmo. Pensemos todos no Vanilla Ice.

Digamos que na música, os pretinhos têm de vencer as mesmas dificuldades que as mulheres no mundo dos negócios e a selecção natural, séculos e séculos disso, acaba por resultar na máxima só os mais fortes sobrevivem. As mulheres só começaram a trabalhar em empresas há umas míseras décadas por isso os seus genes não reflectem adaptação, apenas inadaptação. É normal que neste momento ainda sejam inferiores e manifestem idiossincrasias femininas ineficientes, como empranhar ou ir chorar para a casa de banho quando estão com o TPM. Não estão a ver o Belmiro de Azevedo a cambalear grávido na Assembleia de Accionistas e a abanicar-se todo com o relatório e contas Sonae 2010 porque teve um acesso de calores, pois não?

- Bolas Sam Cooke, devia ir estudar Relações Internacionais. Este saco pesa uma tonelada.
- Hey, tive uma ideia James, para uma letra sobre as vantagens de estudar.
- Aquilo das Relações Internacionais era uma piada, à rasca já eu estou.
- Não pá, miúdas pá... Se calhar, se estudares, sacas mais gajas!
- Canta lá isso Sam...
- Don't know much about history... don't know much biology...

17 comentários:

Anónimo disse...

Tu andas perto da genialidade, Tolan.

Margarida disse...

estou de acordo c o comentário anterior.já li todos os textos do blogue e digo-lhe com admiração q você não escreve uns textos, você é um escritor!

Maat disse...

michael buble... boa ideia para um post.

Maat disse...

uma pequena divagação acerca da designação das 'raças':
-pretinho: que engraçado, usas um nome carinhoso. é para não ofender?
-ariano: não gosto muito desta palavra. se calhar por associar ao hitler e nazismo e isso. prefiro caucasiano. acho esta palavra bem engraçada, caucasiano. apesar de não usarmos muito em portugal, é mais nas séries tipo CSI 'encontramos um morto no edifício abandonado. caucasiano, sexo masculino, idade 35 anos aproximadamente'.

Anónimo disse...

Seu racista do caralho!

Anónimo disse...

Sim, és genial, mas é a TPM (tensão pré-menstrual). De resto serás um escritor fabuloso: coerência, ironia e sarcasmo q.b., criatividade de fazer inveja aos mais criativos e uma inteligência deliciosa!
Preconceitos todos temos (não há ninguém que não tenha, venha quem vier): uns assumem e aceitam-se; outros negam e enganam-se. ;)

Beijinhos grandes!

Bárbara T.

Isabel disse...

Sempre chamei pretinhos aos pretinhos, por isso esta palavra soou-me bastante familiar, não estranhei nada.
E, segundo diz que me conhece, “só ouço pretalhada”. Isto eu já acho um tanto ou quanto agressivo. Não é uma palavra bonita.

Anónimo disse...

Concordo com o Anónimo, mas de facto não me convenceu e não tem que me convencer.

Escreva preto em vez de pretinhos. Branquinhos,arianinhos, amarelinhos, pretinhos, vermelhinhos, ciganinhos etc... Tão quiducho, bidu bidu gugu dádá...

Carla

Anónimo disse...

* 1º Anónimo.

Carla

Lia disse...

Ahahahahahahah!!!

Anónimo disse...

Pois, está bem.:)


Maria Amaral

Maya disse...

Maat,

Lol (ihih).

Tolan,

Não te dizem nada estes elogios, pois não? Tu sabes que ainda não encontraste o que te vai distinguir ...

Margarida disse...

"The worst enemy to creativity is self-doubt".Sylvia Plath

Beatrix Kiddo disse...

eheh great post

cê-agá disse...

"pretinhos" ahahahahahah!!!

as: ch - uma pretinha :)

DCSdeC disse...

Nós de R. Internacionais vamos acabar por dominar o mundo, muuahahah
vá, dominar o mundo é hiperbolizar, mas num mundo globalizado é cada vez mais necessário alguém com uma formação em relações internacionais.

DCSdeC disse...

mas sim, o texto está muito bom. como sempre, Tolan :)