quinta-feira, 14 de abril de 2011

poesia, um dos meus hobbits

sardinhas

as músicas românticas
lembravam-me miúda tal e tal
agora lembram-me de ti
Portugal
não é fácil
esquecer-te
é como ser abandonado
por uma rapariga bonita
com quem tínhamos
intimidade
e que um dia aparece
numa campanha
da intimissimi
em outdoors
por toda a cidade
estamos presos
os dois
num mau casamento
amo-te mas
não gosto de ti
gosto das tuas
sardinhas enlatadas
mas dormimos
em camas separadas
os moínhos de vento
a girar
moíam o trigo em farinha
e o Rui Moleiro
vendia a farinha
ao Chico Padeiro
que fazia o pão
que vendia na aldeia
e à noite
gastava todo o dinheiro
em vinho e macieira
no café do Jorge do Café
tanto trabalho
para nada
só para o Jorge do Café
correr o Chico Padeiro
à paulada
é preciso é saúde
vai-se andando
até amanhã
se Deus quiser

Yuck - Shook Down

6 comentários:

Andorinha disse...

Tolan, por favor...larga as drogas. Ou isso, ou a poesia. Tu escolhes ;)

hierra disse...

:)é a alma lusa a falar mais alto, em cada português um poeta, ou será um lírico...?

Efémera disse...

Eu cá por mim também tenho alguns hobbits, não muitos, mas bons!

Sofia P. disse...

E eu que sempre quis ter um hobbit!

João M disse...

isto e' adilia. so' para dizer que reconheci.

AEnima disse...

ok ok parece que gralha dos hobbits nao era gralha... e' o que da ler blogs ao contrario. Anyway, a ver pela amostra, keep your day job! :)