terça-feira, 5 de abril de 2011

o que querem eles?

Eu sou de esquerda e tal, sim, mas confesso que continuo sem compreender as greves dos maquinistas do Metro e da CP. O que querem eles?
Um maquinista do Metro ganha pelo menos 2500€, contratos efectivos e têm um grande leque de regalias. 2500€! Porque é que eu estudei? Na CP o cenário é semelhante. Ambas as empresas são profundamente deficitárias, o que leva a crer que os salários que recebem estão desajustados à realidade económica do país - salário médio a rondar os 750€.

Anualmente, revelam prejuízos astronómicos. Os da CP andam pelos 200 milhões de euros e o Metro de Lisboa pelos 125 milhões. Um buraco financiado pelos impostos dos outros portugueses. É certo que ambas as empresas cumprem um serviço público também e não me choca que dêem prejuízo. O que me preocupa são prejuízos tão elevados combinados com salários tão elevados numa profissão que, tecnicamente, não me parece justificar esses valores.

Nas greves, defendem apenas o seu interesse particular, o seu privilégio assimétrico na sociedade, conquistado porque as suas greves - como as do sector dos transportes em geral - têm um efeito de bloquear a actividade de outros sectores. Os desempregados e precários são precisamente os que menos poder negocial têm, como podem "negociar"? Fazer greve e serem despedidos no dia seguinte? Fazer greve aos tenebrosos Centros de Emprego, onde são tratados como lixo humano?

Portanto, se eu percebi bem, todos temos os salários reduzidos, menos eles. Eles não querem e é isso que defendem, apesar de trabalharem em empresas que dão prejuízos astronómicos e que são financiadas por dinheiros públicos.

Seria interessante ver um Governo com a coragem que o governo espanhol teve ao lidar com a greve dos controladores aéreos.

São estas coisas que me causam graves problemas existenciais quando penso na esquerda vs direita e assim. Gostava de evitar esses problemas, obrigado. Não me obriguem a linkar para artigos do Sol. Aqui este artigo diz que alguns maquinistas ganham 50 mil euros por ano.

6 comentários:

"So smile disse...

Só tenho uma questão(zinha):
- Onde é que se tira a carta de maquinista???

anouc disse...

Oh Tolan, tu com um comboio nas mãos pá... pensa bem. Imparável, imparável!

Silvia disse...

tolan,

fazes me falta no fb.

de resto, vim apenas dizer que me sinto uma barata kafkiana, tal o desnorte em saber como me ponho no trabalho dia sim, dia não.


ah, a escola é no entroncamento. internato, So Smile :)


p.s: se o maquinista fosse o bale eu seria mais solidária com a greve em repeteco.

beijos
sílvia

Vanessa Casais disse...

Nem mais.

Anónimo disse...

Gostei do bónuszinho de assiduidade!Ganhar mais uns eurozinhos só por fazer o favor de fazer a sua obrigação: trabalhar!
Pois, dá deus nozes a quem não tem dentes (ou dá dentes a quem não tem nozes? Nunca sei!)...

Beijinhos grandes!

Bárbara T.

Anónimo disse...

Oh Tolan, seu totó, n'eras tu, pá, que querias um emprego que te desse tempo e dinheiro pa escrever e buere? Atão, t'aí, ó. Vai ser maquinista do metro e depois dá uma palavrinha por agente que samos teus amigos. Carta de patrão do mar... não tás bom da pinha.