quarta-feira, 16 de março de 2011

Japão


Estou triste e angustiado. Sou pessoa de poucas viagens mas aquela que mais me marcou foram as semanas passadas em Tóquio e Quioto, em casa de um grande amigo que me mostrou o que pode. Teria dificuldades em pensar numa cultura e num povo que me fosse ao mesmo tempo tão estranho e tão familiar. Sentia-me bem e em lado nenhum havia nada que fosse feito para me sentir bem, uma vez que o Japão não é orientado para turismo externo. Lembro-me de andar por horas em Tóquio e não ver um único ocidental ou ver uma palavra ocidental familiar. E da extrema cordialidade, timidez e simplicidade, talvez a característica humana que eu mais aprecie em desconhecidos. Isso e a extrema geekness e uma paisagem high tech intercalada por cultura milenar. Em Quioto, nos templos simples, encastrados na natureza verdejante, e nos jardins minimalistas, senti mais espiritualidade que nas maiores catedrais da europa. Turistas ocidentais, bem intencionados, sentavam-se nos alpendres em tentativas de meditação, à procura de qualquer coisa perdida no ruído das nossas cidades.

Ver este pesadelo abater-se sobre aquele povo faz-me ter saudades terríveis e uma melancolia atroz, uma vontade de ir para lá apagar reactores nucleares com baldes de água. É um dos motivos pelos quais eu sou uma pessoa de poucas viagens, viajar é magnífico mas quando gostamos dos sítios, é inevitável ir acumulando saudades e a pena, enorme, de ter tão pouco tempo de vida para realidades alternativas em que viveríamos em todos os sítios de que gostámos.

Espero que as coisas corram o menos mal possível.

7 comentários:

. Sofia . disse...

Espero o mesmo!
Coitados, nem consigo imaginar o que estão a passar. :s

Lima e Tequilla disse...

Falam em explosão numa central nuclear e a 1ª imagem que me vem à cabeça é mesmo chernobyl... Agora é esperar que eles consigam controlar aquilo o melhor possível.

Teresa disse...

Só posso dizer que gostei muito, muito deste post.

Laranja disse...

Bem sabes como me identifico com o que disseste. :\

Mónica disse...

Bom... estou sem palavras. Eu também estive no Japão e penso exactamente isto que escreves (até na parte final, sobre as viagens, me revejo). É precisamente isto. Nem mais, nem menos.

Anónimo disse...

tolan és grande. respect.

Aladdin Sane disse...

Pois, isso tudo. O Japão deve ser o país mais "simpático" do Universo. Pela descrição feita, parece que posso deixar de ficar "angustiado" por nunca ter lá ido. Parece que os "clichés" cinematográficos e afins correspondem à realidade.