terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Pode ter conseguido bater o recorde de 100 pés

McNamara, ontem, na Nazaré, pode ter batido o astronómico recorde anterior de 78 pés, com uma onda que pode chegar aos 100 pés (aguarda-se confirmação oficial). Ler coisas na imprensa internacional como: forget the Hawaiian big wave surf spots, Mavericks, Todos Santos and the Cortes Bank. The ultimate challenge of the modern big wave surfer is located in Nazaré, in the central region of Portugal... :') Ainda por cima o raio das ondas têm um aspecto medonho, feroz, borbulhante, infernal...



Que a Nazaré tem ondas gigantes, não é novidade. Recomendo francamente os wipeouts aos 2:03 e o épico aos 2:30 e que se tornou viral. Mesmo quem não acompanha estas coisas não deixará de achar divertido ouvir "aiaiaai vai lá! vai lá caralho!"; uma reacção perfeitamente natural à manobra aparentemente fatal que acabou de ocorrer a 2 metros da praia.

11 comentários:

Anónimo disse...

Gostava de saber o que achaste do "Pulp Fiction" e deste novo o "Django Unchained".
R.

Maria Costa disse...

Até me falta o ar mas é simplesmente fabuloso

Tolan disse...

R. :)) bem, o Pulp Fiction para mim é um clássico intemporal, uma obra prima lá bem no topo do panteão do cinema. O Django ainda não vi, vejo este fds. E tu, achas o quê?

Anónimo disse...

É um clássico intemporal porquê? Do Pulp Fiction não acho nada. Nunca o consegui ver. Em mais de 30 anos nunca o consegui ver. E fico frustrado porque nunca atingi o filme. Vi o Jackie Brown e gostei. Reconheço a mestria nos diálogos. Mas não atinjo o gore blood. Queria uma opinião sensata pelo menos no Pulp Fiction, porque é raro encontrar alguém que seja indiferente ou não tenha atingido o filme.
E só para terminar, na altura em que vi 30 minutos do Pulp Fiction, vi Takeshi Kitano. Um compreendo onde quer chegar com a violêcia. Outro não.
R.

Anónimo disse...

E sobre a onda... acho que vou largar o meu trabalho no escritório e caçar assim ondas dessas. O meu superior quer dar-lhe acima de 2k para aparecer lá o logo dele...
R.

Peppy Miller disse...

Dá um medo do caraças!!!

R. disse...

A musiquinha do primeiro não lembra ao diabo.

Dos wipeouts, grandes apanhados. Jesus, Maria, José.

R.

Anónimo disse...

Não andava por aqui um post que falava do Oscar Wilde??

Maria D Roque disse...

Já tinha visto a notícia e os vídeos. Até pus a foto no meu "destaque"... é brutal... respeito a audacidade e a mestria e a beleza da natureza em fúria.

Mister Charmoso disse...

Quem diria que a minha Nazare iria andar nas bocas do mundo

Tolan disse...

R., sobre o Pulp Fiction, podia escrever duas páginas (tinha de) e podia falar, por exemplo, nos melhores diálogos do cinema actual versarem sobre massagens aos pés ou sistemas métricos para nomenclatura de hamburguers, mas quanto à violência, o que nos resta, agora? é única coisa real e com que podemos contar. Sangue, bem vermelho e catártico. No Kitano ela é levada a sério, digamos assim, o Tarantino tem uma postura mais irónica, mais comic book, mais "Pulp".