quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

não é forma de ir

Quem nunca contemplou, do alto do Cabo Carvoeiro, o fim da sua própria existência na espuma branca das ondas a desfazerem-se furiosas na proa da Nau dos Corvos, não sabe apreciar um bom queijo como deve ser.
  

2 comentários:

Maria D Roque disse...

Sempre me perguntei porque é que sou a única duma família de 5 malucos que é queijómana... Está tudo explicado ! O meu pai adorava o passeio a Peniche e era um amante do Cabo... Também era fã de queijo de Nisa e dum bom Serra amanteigado... :P

Tolan disse...

ehehehe