terça-feira, 2 de outubro de 2012

«Comissão Executiva da CGTP discute greve geral»



- Temos de fazer algo contra estas políticas de direita. Precisamos de inverter o rumo das políticas do grande capital.
- Temos de alterar o rumo destas políticas.
- O problema é a política deste governo que continua a implementar políticas de direita.
- Muito bem camaradas, já fizémos o diagnóstico da situação. Agora temos de encontrar a solução.
- Jornadas de luta.
- Que tal uma greve?
- Geral ou particular?
- Geral era melhor.
- Quanto mais geral melhor.
-Muito bem. Greve geral então. Contactem as secções sindicais da Carris, CP , Metro, Transtejo, tudo o que seja transportes. O povo está do nosso lado contra estas políticas de direita. Temos de o ajudar a fazer greve.
- Camarada, das outras vezes só o povo sem viatura própria conseguiu participar na greve. Os que tinham viatura própria privada conseguiram deslocar-se aos locais de trabalho e não puderam participar da jornada de luta contra estas políticas.
- Bloqueia-se as principais artérias de Lisboa e Porto. Alugamos uns autocarros ou usamos os da carris, estacionamos no meio da 2ª circular, eixo NS, Ponte 25 de Abril, Ponte do Freixo, Circumvalação…
- Camarada, algumas pessoas deslocam-se a pé para o trabalho, oprimidos pelo grande capital. Não podem participar da greve nem com as estradas bloqueadas e os transportes parad…
- Partam-lhes as pernas caralho! FODA-SE! Tenho de pensar em tudo!? O que foi? O que é? Desembucha!
- Camarada, há pessoas que fazem teletrabalho. Podem trabalhar a partir de casa com recurso às tecnologias de informação e comunicação.
- Temos de as ajudar a fazer greve também! Irra! Como?
- Podíamos desligar a internet.
- Camarada, já tentámos isso no passado, mas eu falei com o meu sobrinho que percebe dessas coisas do Internet e ele disse-me que não dava para desligar a Internet.
- Então desligamos a electricidade ao país todo, problema resolvido.
- Grande ideia! Parece-me bem. É uma questão da secção dos trabalhadores da energia se mobilizarem. Contactem o líder da secção da EDP.
- Camarada, desde que a EDP foi vendida aos chineses, a secção sindical foi extinta.
- Extinta? Ah, foi extinta porque se tornou desnecessária, certamente. Os nossos camaradas chineses  atenderam a todas as reivindicações da comissão de trabalhadores!
- Não. Foi mesmo extinta. Ninguém sabe o paradeiro deles.

9 comentários:

Isabel disse...

Este diálogo também é engraçado mas gostei mais do outro, não sei porquê. Ou será que sei? :)

nAnonima disse...

FANTÁSTICO!!!!

(não te esqueças dos FVR, já que ninguém se lembra deles :)

Anónimo disse...

Eehehehe... este saiu-te bem.
:) mas eu não tenho viatura própria. Pego às aulas pelas 8h30 e pego ao trabalho às 14h. Necessito do quimbas e não o há.
Criminoso.
R.

Maria D Roque disse...

Estou a ser repetitiva, não estou ? Brilhante !

Me, My Shit and I disse...

HEHEHE

Numa qualquer toalha de mesa disse...

cheiram a mofo..

lado obscuro disse...

Adorei!
Sem electricidade é que era! Mesmo que quisesse trabalhar não podia :) Granda Greve! ahahah

Anónimo disse...

Só falta mesmo ai no meio do texto a expressão "pacto de agressão" :D

Luísa

Peppy Miller disse...

Eh pá a analgia da EDP está brutal