sexta-feira, 12 de outubro de 2012

lost generation

As notícias sobre a minha paternidade são manifestamente exageradas. Não vou ser pai. Eu nem para tomar conta de um gato tenho jeito. Tenho a sorte da Plaft ser toilet trained e de ter polegares oponíveis que lhe permitem abrir sozinha os pacotes de bolachas quando eu não estou em casa, caso contrário o mais certo era colocar-lhe a foto no facebook com o título "para adopção - partilhem". Eu quero ser um grande escritor americano alcoólico da lost generation, não o raio do homer simpson que é exactamente o que se obtém quando se conjuga um grande escritor americano alcoólico da lost generation com filhos, uma mulher e o Benfica.
A única hipótese... a única hipótese é talvez aproveitar tudo para fazer um romance durante a licença de paternidade.

Era uma noite chuvosa e negra. Alice assistia ao BabyTV com desinteresse, entorpecida pelas rodadas de leite morno do biberon que bebia sofregamente para esquecer o tédio de ser bebé e a depressão de estar à mercê dos adultos para limpar o rabo depois de se cagar toda. O passeio de carro fizera-a vomitar em cima de mim e estávamos os dois exaustos. Abri mais um compal fresh de maracujá, mudei para a playstation e meti-me a jogar battlefield. Queria relaxar com um pouco de morte e guerra, ainda que virtual. Alice acordou com o som da minha M16 a varrer um pelotão inteiro de putos e sorriu um pouco. Nada como boa violência para a entreter. Tirei uma cenoura e pus-me a mastigá-la. Já tinha roído dois maços.


18 comentários:

Maria D Roque disse...

How very Dasheieli Hammett ... Ah!! ... e quando se sabe que se vai ser pai/mãe sem ser planeado, depois do choque vem a negação... ;D

Palmier Encoberto disse...

É uma menina? :)

Maria D Roque disse...

Lá estou eu a chamar nomes às pessoas... supostamente o homem chamava-se Dashiell e não aquilo que eu escrevi ali...

Pipoco Mais Salgado disse...

Meu caro, aceite os meus cumprimentos. Nos dias que correm, a maravilha de uma nova vida é sempre de saudar, ainda que eu anteveja que a criança cedo perceba que não foi desejada e se rebele contra o mundo em geral e contra os progenitores em particular, o que, em segunda iteração, fará com que o meu caro tenda ao reforço de stock de Johnny Walker, deixando à Plaft essa nobre missão de equilibrar a frágil harmonia familiar. Porém, o nascimento dessa criança rebelde potenciará a sua criatividade de escritor, levando-o ao novo mundo dos baby-blogs, onde o meu caro dará cartas, ora postando que o seu rebento sorriu, ora que comeu a sopa de aipo e gostou, deixando-nos a nós, pobres de nós, com um sorriso prazenteiro, imagnando o idílio que o meu caro sabiamente descreverá entre duas goladas de whisky novo (sim, downsize de qualidade de vida, as coisas são como são...)

JC disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
JC disse...

Também sou pai de uma pequena Alice. Já só me falta ser um grande escritor americano.

Felicidades!

Tolan disse...

Mas eu não vou ser pai! :| obrigado na mesma a todos :\

Maria D Roque disse...

Pois... a negação...compreensível... daqui a um mês, vá , dois tops, já anda na Pré-Natal ;)

JC disse...

Um ano depois dela nascer ainda digo o mesmo: mas eu não vou ser pai!

Coragem, pá.

disse...

Oh, vamos ter um baby blog em versão "papá", que giro!

Izzy disse...

Ooopss...Did I do that? Sorry...:)

Mas independentemente do Tolanito (ou Tolanita, ao que parece) afinal ser so um projecto em que "um amigo teu" esta a pensar, olha que os grandes escritores americanos alcoolicos do seculo passado tiveram filhos ah mesma. E isso nao os impediu de escreverem paletes de livros. Para que servem as mulheres afinal?

Sãozinha disse...

Dizem que a negação é o primeiro passo para a cura, mas que sei eu?

Anónimo disse...

O segundo parágrafo fez-me lembrar de imediato o "the last days of the suicide kid" acho que é pelo paralelismo entre o bébé que precisa dos adultos para tudo e o suicide kid que depende da enfermeira.
Gostei :)

Joana

Rosa Cueca disse...

Mau Maria, mas há rebento ou não há rebento?!
Isto são coisas muy importantes e muy nobres Tolan.
Ter uma filha significa que tens que começar já a pensar nos problemas cardiovasculares e a tomar precauções. (Aquelas que olvidaste quando andavas no regabofe).

Aguardo desenvolvimentos.

Pólo Norte disse...

Na Pré-Natal do Sintra Retail Parque oferecem café à borla. Estou a recolher assinaturas para introduzirem vodka gratuita na máquina de vending. Se assinares passo a ter duas!!!

Isa disse...

Nada temas, Tolas. Tá aí um paizão em potência.

Tolan disse...

@_@

o que é que eu fui fazer...

Anónimo disse...

Rosa Cueca, és Fio Dental?