terça-feira, 12 de junho de 2012

ainda mais um

só para vocês verem a máquina que eu sou a fazer posts, não entendo as pessoas a quem custa fazer posts. Eu só não faço 5 por dia porque depois parece spam, mesmo nas vossas cabeças, parece spam, vocês lêem um e dois e ao terceiro já estão "foda-se, este gajo não se cala" e desvalorizam os textos por causa da quantidade, já para não falar no facto de serem de borla e num blogue, porque se eu escrevesse num jornal ou revista em papel, o valor emocional dos textos subia em flecha. Uma pessoa paga então quer (racional ou irracionalmente, não interessa) sentir que o que está a ler valeu a pena. Um nome em papel vale por 1000 nomes em pixel. Isto é um bocado como os diamantes, se fossem tão comuns como areia não valiam nada, no entanto, não deixavam de ser bonitos como os diamantes são, pois são mais bonitos que areia. Eu penso assim a propósito de coisas como as sardinhas frescas ou aquelas azeitonas alentejanas enormes ou o pão de mafra genuíno com um bocado de manteiga e um bom vinho e os meus posts. São diamantes, deu-se o acaso de serem mais acessíveis que o caviar ou aquele livro do Gonçalo M. Tavares que comprei, o do senhor Valery, que me custou uma fortuna tendo em conta o tempo que o demorei a ler (era curto, tinha bonecos e só li 2 páginas porque me senti embaraçado como se tivesse apanhado o meu filho a masturbar-se em frente à tv a ver a Bulma no dragonball). Quando era puto pensava muito isto, perguntava-me se as coisas boas não eram necessariamente raras, como se fosse uma espécie de trade-off da natureza, sendo impossível algo de muito bom ser muito barato e saudável. O bacalhau é que me lixava a teoria porque o meu pai me dizia que o bacalhau era comida de pobre quando era miúdo e depois ficou caro. E que tinha de roubar toucinho, o toucinho era tipo ouro naquela época, até me admira o Banco de Portugal não ter umas toneladas de toucinho nos cofres e apresentar aquilo aos senhores alemães da troika como garantia de mais um empréstimo de 100 mil milhões de euros... São estes os mistérios do universo e que nos incitam ao capitalismo e à escravidão do trabalho. Boa noite e sejam felizes, com os vossos rendimentos miseráveis.


9 comentários:

Menino De Sua Mãe disse...

e tinhas de falar em pão de Mafra a esta hora, homem?!

:)

Sílvia disse...

Tolan, você bebeu um red bull??

POC disse...

@Tolan, acho lamentável ficar aqui à espera de mais um post para poder dizer "foda-se, este gajo não se cala" e afinal...nada.

Isa disse...

foda-se, tinhas de estragar tudo com a última frase...

Isa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carla R. disse...

Não tenho um rendimento miseravel. Estou pronta a pagar por este post.

a.i. disse...

hahaha, o Tolan é impagável. Se calhar os da Troika são vegetarianos e por isso não ligam ao toucinho.

trollofthenorth disse...

Estive quase para pedir a Deus que me desse forças para um dia fazer posts destes, mas depois li pão de mafra em vez de Broa de Avintes e achei que não valia a pena. Para além disso não sei quem é a bulma porque do dragonball só conheço o Kamehameha.

Cutucar o proletariado é lixado.

tata disse...

xinapah a bluma do dragonball..................