quinta-feira, 7 de abril de 2011

o FMI explicado às crianças e ao Paulo Futre

Era uma vez, um bicho muito mau chamado FMI. Tinha orelhas ponteagudas e olhos esbugalhados e dentes afiados! Vivia numa caverna recheada de tesouros dourados onde ninguém podia entrar a não ser o judeu que vinha fazer a contabilidade e uma mulher a dias, uma vez por semana.

O FMI passava as suas tardes a mordiscar moedas de ouro, para ver se era verdadeiro o seu tesouro. Se descobrisse uma moeda falsa, largava as suas duas bestas aladas, o Fitch e o Moody, para aniquilar o incauto que se atrevera a... o.... enganar.

Na aldeia do vale que ficava perto da caverna do FMI, as pessoas viviam com muito medo! 'Cruz credo', diziam, sempre que ouviam, os guinchos dilacerantes do Fitch e do Moody a rasgar o ar frio da noite. Tinham tanto medo que evitavam dizer que o FMI os vinha matar... diziam que os vinha ajudar. A ajuda não vinha logo. O Fitch e o Moody marcam a vítima com um BBB- na testa, como sucedeu ao Fernando do Talho e ao Manuel Sapateiro, que Deus os guarde. Todos sabem que aqueles vão ser ajudados, sussurram-no entre dentes, todos trementes, em conversas angustiadas e apressadas.

Quando se anda com um BBB- marcado a fogo na testa, é-se um morto vivo, não fazem ideia, é o pânico na aldeia! As portadas das janelas fecham-se, as crianças escondem-se, as senhoras benzem-se, o Padre faz soar os sinos e sentimo-nos pequeninos!

Esta noite é o José Engenheiro que dá voltas e voltas na cama, com o seu barrete de dormir e o seu pijama com coelhinhos a sorrir.

Quando foi lavar os dentinhos e perguntou se ficava melhor assim ou assim ao seu espelho, reparou na marca! Um C! Um C na testa! Ia ser ajudado! Em pânico ficou e muito ralhou! Lamentou ter pago um resgate com moedinhas de chocolate. O FMI ficou estado de choque, até lhe deu um amoque, quando descobriu que o seu rico dinheirinho, era afinal chocolatinho! Ainda por cima do espanhol, sem cacau, muito, muito mau.

É uma noite de lua vermelha, o FMI desce à aldeia, com os seus olhos esbugalhados, os seus pés espalmados, as suas orelhas ponteagudas e as suas mãos ossudas, pronto a ajudar, a ajudar... ele quer apenas ajudar... MuaaAHAHAHAHAHAHA!

Tenha uma boa noite. Se conseguir.

13 comentários:

Anónimo disse...

Ai cá medus!!


Carla

Laranja disse...

:D

May disse...

Este título faz-me lembrar "qualquer coisa" contada às crianças ontem pelo Pedro Rolo Duarte.

Ana M. disse...

Muito muito bom!!!! :))

anatereisa disse...

acho piada sobretudo ao título (sim porque o Paulo Futre é um ser especial)

o melhor é eu esconder-me... porque tenho medo do FMI

Maria disse...

fantástico ;)

G. Varino disse...

Ó Tolan, lias histórias infantis quando eras puto?

Tolan disse...

Ainda leio, Varino.

G. Varino disse...

N me digas!!! E qual é a tua preferida?

Me, My Shit and I disse...

lololol
Acho que o que me meteu mais medo foi imaginar o Socas com um barrete e pijama com coelhinhos...(depois desta imagem n sei se vou conseguir dormir)

hierra disse...

Olha que comparada com a versão do FMI de alguns politicos, a tua até que é fofa!!!

Maria Flausina disse...

Eu acho que já disse, mas estas coisas têm de se reforçar sob pena de murcharem: Tolan o meu amor por ti arde com uma chama imensa (nada de conotações benfiquistas).
Será demasiada confiança tratar-te por tu, mas quem ama é assim mesmo, destemido...

Tolan disse...

Maria Flausina, a sua chama imensa aquece-me nesta noite já de si tórrida uma vez que moro num último andar que aquece demais. O meu ego esfomeado sorve com sofreguidão tamanho amor e espera retribuir com textos reciprocamente inspirados enquanto houver saúde (o que não é certo, uma senhora médica recentemente avisou-me que tenho pouco tempo de vida aqui pelos comentários).