terça-feira, 29 de março de 2011

Tolan corrector

O Tolan anda hiper picuínhas com a sua escrita e revisão das coisas que escreve (no romance, no romance, aqui no blogue preocupar-me com isso era o mesmo que me preocupar com o tempero da ração dos porcos) e então agora vê erros em todo lado. Não me refiro a erros de português óbvios, apenas formas mais ou menos elegantes de escrever a mesma coisa.

Prosa de JPP, que normalmente escreve muito bem mas às vezes manda com algumas que parecem ditadas pelo Jorge Jesus. Aqui a bold e sublinhado as minhas introduções e a riscado o que eliminaria e sem mexer demasiado na pontuação, parece-me que faltam vírgulas:

Se o mundo fosse o ideal, o que não é, um bom motivo para um inquérito parlamentar seria a violência associada ao desporto. Em particular para saber até que ponto as autoridades responsáveis pela ordem pública, protecção de pessoas e bens, neste caso o Ministério da Administração Interna, não são há muito têm sido *complacentes com formas de institucionalização dessa violência. Ouvindo comentar o Ministro sobre uma agressão à pedrada contra um autocarro do Benfica fica-se com a sensação que parecia de **estarmos perante um fenómeno novo, a justificar mais uma bravata tão incumprida como as anteriores: tolerância zero.


* O que JPP quer dizer é que as autoridades são, há muito, complacentes com a violência. Até o podia ter dito assim, simples. Ali ele liga um "saber até que ponto" a um "não são há muito", cheio de tralha pelo meio, o que é bastante pesadão. Mas mesmo sem a tralha, não é elegante "Um inquérito para saber até que ponto não são há muito complacentes" dá-me a sensação de coisas a cair por umas escadas abaixo.

** este aqui é tenebroso. fica-se com a sensação que parecia estarmos.  "sensação de parecer estar".

7 comentários:

hierra disse...

realmente!!!1

LN disse...

Estás a escrever um romance?

Tolan disse...

Sim ._.

Cat disse...

Curioso é como há tantos escritores que enchem páginas e páginas das suas histórias com tralha, como dizem em 20 palavras o que podiam dizer só em 5. Faz-me pensar que devem ser pagos ou por número de páginas ou de palavras, portanto, quanto maior o livro maior o número de zeros no cheque.

Diego Armés disse...

JPP um dia dará origem a uma semana sobre o verbo "empastelar" no 5 para a Meia-Noite. Não é honra pequena. Mas esperava mais.

LN disse...

Boa. Quando acabares diz.

frango atirador disse...

Estás a gozar? O JPP a "escrever bem"? O JPP escreve com os pés, pá. O homem manda mais pontapés na gramática do que o Grimi numa bola.

E, em termos de falhanços, estão ela por ela.