segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

MacBook Air, eu resisto-te

Sempre que vou à Fnac, oiço o chamamento de sereia do stander da Apple. Odeio a Apple, odeio o sentimento de pertencer ao rebanho das pessoas que acham que o Steve Jobs é novo messias e que usar auscultadores brancos é sinal de riqueza intelectual e que o iPhone dá jeito. Mas filha da puta de MacBook Air. Aquele alumínio escovado, aquelas teclas bem separadas e bonitas, aquela espessura ínfima... Este fim de semana não resisti e toquei-lhe. Ainda andei às voltas, na parte dos jogos de PS3, nos livros, mas na realidade o meu objectivo era o MacBook Air. Tive de lhe tocar para ver se era real. Primeiro, envergonhado por estar gente a ver, mas depois de sentir o suave toque das teclas, perdi-me, comecei a apalpar o computador de alto a baixo, a sentir-lhe o processador Intel Core 2 Duo a 1.6Ghz, a deslizar as minhas mãos pelo seu corpo leve e compacto, sem o peso da bateria interna de polímero de lítio de 35 watts/hora, testei o teclado, a escrever inícios de romances em catadupa, tchk tchk tchk, a sonhar com prémios nóbeis, poemas infinitos, imagens de mim na esplanada da Gulbenkian, a fumar e escrever no meu MacBook Air, finalmente parte da paisagem, e uma bailarina etérea a morder o lábio a dizer-me "que belo Mac, adoro homens com Macs"... saí do transe quando um senhor gordinho e suado me deu um encontrão, também queria tocar no MacBook Air. Afastei-me, ainda olhei por cima do ombro, cheio de ciúmes e perturbado pelas manápulas do gordo a ensebarem o teclado do meu MacBook. Resisti, resisti, resisti... a caminho da saída, uma miúda com um ipod nas escadas rolantes, na mesa do café um geek com o iPad, dois gajos com o iPhone ARrggghhhh
Corri o mais depressa que pude. Uma vez no parque de estacionamento, dentro do carro, encostei a cabeça ao volante e recuperei as forças. Estava a tremer.

17 comentários:

binary solo disse...

como te compreendo. se precisasse de um computador (tenho 3) era um destes que comprava. aquela merda é irrestivel.

Pilar disse...

o pro é melhor e mais sexy. o air não tem entrada para CD/DVDs.

hierra disse...

Eu sinceramente não fico assim por um computador...nem pensar, eu e a tecnologia andamos sempre de candeias às avessas

Laranja disse...

Compra um!!
Dá sempre jeito numa cozinha:
http://www.flickr.com/photos/isriya/2536254778/

Tiago disse...

o meu macbook pro é a melhor coisinha que comprei nos últimos anos.

Só o facto daquilo arrancar em menos de 1 minuto e nunca crashar...

Só me chateou no princípio ter de andar a fazer de geek para descobrir os programas e add-ons adequados para as compatibilidades de ficheiros, aplicações, unidades externas...

Passada essa fase, a conversão é imediata...

kiss me disse...

Ninguém me perguntou nada mas ainda assim vou comentar. Eu não sou maluquinha da Apple, tenho um iPod há muitos anos e na altura comprei porque era o que havia.

Não tenho iPhone nem iPad apesar dos meusa migos todos quase me obrigarem a comprar o iPhone, agora que eu quis um telemóvel novo (comprei um Android).

Mas tenho um MacBook. Daqueles pretos, ainda antigos (que havia em preto e em branco). Já lá vão 3 anos e o raio do bicho nunca me deu problemas (tirando, como foi referido acima, aquele tempo inicial de habituação aos programas, aplicações, e agora esta merda não tem msn nem botão esquerdo do rato e como é que se copia e cola pastas, como é que se formata uma pen, como se grava um CD, ai que eu fiz asneira ao comprar isto). Mas o rapaz é um sonho, funciona às mil maravilhas, mesmo com muitos programas abertos, com milhares de fotos, filmes, séries, músicas. Instalar um porgrama é tão fácil quanto arrastá-lo para a pasta aplicações. Não apanha virus, não pára de repente, não há cá "o programa não está a responder".

Sem ser obcecada pela Apple e sem achar que o Steve Jobs é a última coca cola no deserto, aconselho a comprar o Macbook (eu compraria o pro, lá está, o Air não tem drive para CD).

Boas compras.

Miguel disse...

Do "stander"? Que palavra é essa?!

Tolan disse...

Stander é um sítio onde estancionam carros à venda ou computadores em parteleiras.

Vegan Wolf disse...

também não gosto de carneirismos, mas o sistema operativo de um computador da apple vale o dinheiro.
quando nao me apetece seguir o rebanho instalo freebsd numa das minhas máquinas.
só tenho uma com windows porque nem tudo o que jogo corre em mac.
tirando isso só precisava de mac's e linux/unix.
mas sim, estao na moda e isso chateia-me um bocado.
o meu tem 3 anos e ja nao se vende o modelo.
deixou-me feliz.
quanto aos patroes, jobs=gates=($.$), nada mais a acrescentar.

Vegan Wolf disse...

não consigo encontrar utilidades para o iPad, iPhone e afins.

tenho um iPod de 4gb que deixei de usar para bem da minha saúde auditiva.

Diego Armés disse...

Não me enganas, Tolan Baranduna. Qando te vejo no Estádio da Luz, andas lá de iPod. Aliás, tu próprio o confessaste:

"mais ninguém trouxe o Todas as Dores do Mundo do Schopenauer para ler no intervalo, nem um ipod para ouvir Steve Reich".

o anão gigante disse...

Ainda inventam um nome para essa neurose :))

Maria disse...

Ontem foi o dia em que pensei: não venho mais à Fnac a um domingo!
"Comecei a apalpar" o computador. Hahahahaha.
Também andei a "apalpar"... livros, mas prefiro fazê-lo quando não está ninguém a ver, é que sou muito tímida!

Anónimo disse...

Utilizo mac há 20 anos e é engraçado verificar as reacções da "equipa contrária" à marca, ao longo destes anos.
Antigamente não prestava porque não era compatível (e essa razão persistiu muito além do facto em si), e por isso sem expressão. Agora que estão a ter grande visibilidade o facto de se utilizar um mac faz de nós "carneiros".
Sinceramente não entendo se é uma inveja dissimulada que cria esse tipo de preconceito, mas dá-me sempre um gozo muito grande ver o brilho nos olhinhos, quando se aproximam do meu computador, das pessoas com quem privo e que têm oportunidade de ver as suas potencialidades e já não falando da sua beleza. (E eu não tenho um desses mas um "velho" MacBook Pro!)
Cada um sabe de si e quem sou eu para criticar... mas sei de uma coisa, depois da vestir a camisola ninguém volta, voluntariamente, à outra plataforma. E isso não é carneirada, é fidelidade à marca. Não porque sim mas porque há motivos para isso. E muitos!!! E vai muito além da moda... que sei ser uma realidade.

Teresa

o anão gigante disse...

Caramba Tolan, até te aparecem os apóstolos.

Tolan disse...

É verdade Anão, perdi momentâneamente toda a vontade de ter um Mac, tenho de agradecer à Teresa.

ABS disse...

Não ligues à Teresa. Cede à tentação.

As manápulas podiam ter sido as minhas se eu fosse gordinho e suado. Ai que um dia destes....