segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

carta de Fernando Pessoa a Ofélia

Exma. Senhora D. Ophélia Queiroz:

Um abjecto e miserável indivíduo chamado Fernando Pessoa, meu particular e querido amigo, encarregou-me de comunicar a V. Ex.ª — considerando que o estado mental dele o impede de comunicar qualquer coisa, mesmo a uma ervilha seca (exemplo da obediência e da disciplina) — que V. Ex. ª está proibida de:

(1) pesar menos gramas,
(2) comer pouco,
(3) não dormir nada,
(4) ter febre,
(5) pensar no indivíduo em questão.

Pela minha parte, e como íntimo e sincero amigo que sou do meliante de cuja comunicação (com sacrifício) me encarrego, aconselho V. Ex.ª a pegar na imagem mental, que acaso tenha formado do indivíduo cuja citação está estragando este papel razoavelmente branco, e deitar essa imagem mental na pia, por ser materialmente impossível dar esse justo Destino à entidade fingidamente humana a quem ele competiria, se houvesse justiça no mundo.

Cumprimenta V. Ex. ª
Álvaro de Campos
eng. Naval

6 comentários:

clara disse...

Esta e, de todas, a minha carta preferida.
Adoro o facto de a proibir de "pesar menos gramas". Isto sim e amor.

Maria disse...

Que bom que os distúrbios de personalidade deixaram um legado positivo.

Beatrix Kiddo disse...

o nosso Fernando...

Miss Pu disse...

rica Pessoa sim senhor

Rita Maria disse...

O Álvaro era o melhor deles todos.

Dança dos Dias disse...

O Tolan deve querer que eu morra de taquicardia...
Não posso comentar, não posso...
Ainda vem aí o meu querido anónimo e deita por terra todas as minhas teorias pessoanas.
Humpf
Ah, a amizade é uma coisa linda. Do caralho, por assim dizer.