terça-feira, 2 de novembro de 2010

o pior filme de terror

Este sábado, como de costume, aluguei um filme de terror no meo, sem querer. Foi o pior que vi até agora. Não dormi nada, tive de recorrer à garrafa do vinho que guardo para um jantar especial desde 2004 para me acalmar. O vinho já estava um pouco oxidado, a rolha com bolor, mas teve de ser, tive suores frios e alucinações mas porra, teve ser. Já vi muitos filmes de terror e, acreditem, uma pessoa vai ganhando resistência ao gore, ao suspense, à sensação de ter uma presença no quarto à noite, ao Jason nunca morrer, ao Saw safar-se sempre, ao Freddy aparecer nos sonhos, ao Tubarão regressar sempre depois de explodir no fim do filme anterior... mas nada, nada, se compara a ver o Jim Carrey e o Ewan McRegor a darem um beijo e a dançar um slow e a fazerem de paneleiros durante 120 minutos num filme com voz off o tempo todo e com música aos berros de 2 em 2 minutos. Chamava-se Eu amo-te Phillip Morris. Pensei que fosse apenas a história de um fumador feliz, uma cena que me fizesse sentir bem com o meu vício. Nem sequer estava na parte dos filmes de terror. Até aquele brasileiro que aparece no Lost, o Rodrigo Santoro, faz uma aparição como paneleiro com sida a dizer "amar-te-ei para sempre" ao Jim Carrey. Ao Jim Carrey. Mal começou a voz off eu fiquei desconfiado que não seria uma comédia sobre tabaco. Mas era o Jim Carrey e eu costumo gostar dos filmes tenebrosos em que ele entra. O Jim Carrey deve estar a tentar bater o recorde de bom-actor-mais-enrabado-por-argumentos-idiotas-de-Hollywood a seguir ao Robert De Niro. Mas aqui, foi longe demais. Mais ou menos a meio percebemos que está toda gente a falar a sério. Aquilo é a sério. Por vezes ouvia o vento nas árvores, na rua, e sentia os pelos da nuca a eriçarem-se como quando há espíritos a observar-nos. Era de tal forma assustador que houve partes em que tirei o som e fechei os olhos. A 30 minutos do fim pus no fast forward x2. A 20 minutos tive de acelerar para 4x. Entretanto liguei ao callcenter do meo a fazer uma reclamação sobre a classificação do filme. Aproveitei para perguntar pelo misterioso motivo pelo qual o separador "Filmes clássicos" só tem filmes do Bud Spencer. Vou tentar dormir esta noite.

No início parece uma comédia chocarreira, do género "olha o Jim Carrey a fazer de gay loool"...

...mas depois, transforma-se num fime de terror.
Tenha uma boa noite. Se conseguir.

2 comentários:

M. disse...

Confessa. Foi a cena no barco.

"Don´t you love me?" - Após cuspir para o mar.

Crente disse...

Obrigadinha pela descrição pormenorizada.
Obrigadinha.