terça-feira, 9 de novembro de 2010

coisas que vou aprendendo também

Inspirado no belíssimo post do Ouriquense, que escreve maravilhosamente (<-advérbio!) bem , resolvi fazer a minha lista de coisas que vou aprendendo à medida que escrevo.

1.Escolhe cadeiras que não dobrem para trás quando te encostas ou que não encurtem 30cm de repente a meio de uma frase porque a alavanca reguladora de altura está partida.
2.Para escrever, o ideal são 5 cervejas sagres. Para reveres, o ideal é um dia de ressaca.
3.Não tenhas qualquer vínculo afectivo. A tua vida sentimental acabou. Até podes ter namorada, mas não podes gostar dela . Podes ter mulher mas deves encará-la como apoio logístico e como bloqueio de perturbações advindas de outras mulheres.
4.Não há problema de não teres disciplina, desde que te sintas culpado por causa disso e que isso te torture.
5.É inevitável que o que achas bom hoje te vá envergonhar amanhã.
6.Se te sentires aborrecido e ensonado vai jogar playstation.
7.Se tropeçares numa expressão gramatical complexa que não consegues dominar bem, desiste da frase.
8.Nos períodos de escrita, lê coisas que um ser humano normal e limitado pode escrever, evita o Livro do Desassossego.
9.Se estás sempre a cometer as mesma trapalhadas, pensa que isso pode ser o teu estilo. Ou pelo menos diz isso aos outros.
10.Escreve para um ou vários leitores ideais imaginários. Eu imagino uma miúda do tipo alternativa, do género das que se apaixonam pelos escritores, com o aspecto da Natalie Portman. E um puto geek de 16 anos, cheio de problemas. E o Harold Bloom.
11. Não sejas humilde em privado, só em público.
12. O interesse do que escreves está na exacta proporção da dificuldade e embaraço que tens em escrevê-lo.
13. Mente, exagera, distorce, manipula. Comporta-te como os especialistas financeiros que avaliam coisas.
14. Tem sempre presente a hipótese de não valeres nada e vê as coisas no longo prazo. Com o tempo, as pessoas passam a preocupar-se menos com a falta de qualidade e admiram-te pela teimosia e estilo próprio.

7 comentários:

Wiwia disse...

Pois claro, faz sentido. Com SuperBock nunca mais lá ia da perna. Obrigadinha, senhor, obrigadinha.

Beatrix Kiddo disse...

tudo no sítio menos a sagres...Jack Daniel's?

Isabel disse...

Muito bom! Vou adoptar o ponto 4 e aplicá-lo a praticamente tudo na minha vida.

Tolan disse...

Beatrix, o whisky morde, é demasiado pesado para escrita. Quando muito, vinho.

Cuca disse...

Não concordo com a 12. A 8 é muito, muito verdadeira.

maria 3a disse...

li isto durante o café matinal - há pingos de café (com saliva) por todo o lado, das gargalhadas que tentei controlar sem sucesso.

Pedro Góis Nogueira disse...

Muito bom. Grande post. Grande texto. És capaz de gostar também destas palavras: http://www.youtube.com/watch?v=xbuatcBm75o&feature=related