terça-feira, 13 de julho de 2010

metal pesado


Então acabei com tudo à minha volta, incluindo o blogue, tirei férias e isolei-me. Passei um mês numa pequena casa, perto do mar, zona de Peniche, a fazer pesca submarina ilegal. 24 minis por dia, no mínimo, um maço de português por dia no mínimo, internet a 56kb no máximo, sem tv. Rapei o cabelo em Peniche. Comecei a falar sozinho ao 3º dia, a murmurar frases, como o Kurt Cobain do Gus Van Sant no Last Days. Num dia de maior preguiça de ir ao supermercado e sem peixe fresco, acabei por jantar uma das latas de whiskas que a minha mãe armazena sempre para a eventualidade de um gato vadio querer jantar. Há muitos gatos vadios em Peniche, rondam as fábricas de conservas. Foi nesse momento que achei que estava pronto para voltar para Lisboa e recomeçar o teatro, recomeçar tudo do zero. É-me indiferente o passado. Não sou um poeta, desses que cortam o dedo numa folha de papel e arranjam inspiração para um verso sobre cortar os pulsos. Prefiro cortar os pulsos a um poeta. Recomecei a sair à noite. Ando a pensar tatuar um guaxinim no braço esquerdo. Deixei de jogar poker. Recomecei a sair à noite.

5 comentários:

bluesy traveler disse...

ohhhhhh we've missed u. a blogoesfera é um sítio tão melhor contigo por aqui :p

hmbf disse...

faço minhas as palavras da bluesy. saúde,

Tolan disse...

*snif* (group hug)

Vitor.vanbasten disse...

"bla, bla, bla ...
bla, bla, bla ...
Wiskas !!!
bla, bla, bla ...
Ao menos agora vais ficar com o pelo sedoso :)
Bemvindo de volta

Mar disse...

Tenho a mania de ler sempre o primeiro post de blogues que não conheço.
Geralmente, define o resto :-)